Topar fazer uma viagem saindo do Brasil Central, primeiro para o extremo sul da América do Sul e depois até o Canadá, envolve muita coisa. Sair nessa mesma pegada, mas de carro, sem planos para voltar, e ainda levando nossa cadela junto, adiciona mais elementos para o planejamento dessa aventura que está prestes a acontecer. E o nome desse projeto é XTnautas.

Enquanto a Allegra usa todo seu expertise como produtora, cuidando da maior parte dos aspectos da viagem que não envolvem o carro, coube a mim, 'apenas o motorista', a aprender mais sobre esse mundo da mecânica automotiva diesel.

Um veículo diesel sem bomba injetora eletrônica, se bem conservado, é mais ou menos como uma kombi, um fusca, um uno quadrado, etc: pode contar com ele para (quase) qualquer situação, mas de vez em quando ainda terá coisas para ver. O maior fator aqui é que, sendo mecânica, significa que a viatura já não é tão novinha, e está naquela faixa entre adolescência e jovem adulto, quer dizer, de 15 anos em diante. A chance é bem alta de você não ser o primeiro dono dela e, portanto, não saber o real estado do veículo e de todos os seus componentes.

É claro que houve uma inspeção antes da compra, e aquela trabalhada na viatura assim que adquirida... mas aqui, me refiro àquele check-up geral, ideal para a quilometragem atual do veículo - e também para o propósito da viagem: rodar milhares de quilômetros nesse mundão, até acontecer um imprevisto, rs.

Mesmo os imprevistos sendo situações fora de nosso controle, ainda é possível melhorar um pouco nossas chances, através da manutenção preventiva, que vai além das trocas e inspeções regulares. Essa parte tem início - ao menos em meu caso - também com a aquisição de maior intimidade com a mecânica automotiva, tanto na teoria quanto na prática.

Não pretendo ser o mecânico oficial do meu veículo. Por outro lado, preciso estudar e praticar o suficiente para duas coisas: não ser enganado por mecânicos e oficinas oportunistas, além de estar pronto para sair de uma enrascada leve em locais onde a assistência técnica não possa ser acionada. Não é necessário assistir uma hora de youtube para assegurar-se de que quem vai para o Jalapão quebra sim, quem vai para a Bolívia, Atacama ou Ushuaia, idem. Pode-se rodar milhares de quilômetros sem um problema sequer, até surgir o imprevisto.

Conhecer as diversas partes da viatura, como suspensão, sistema de arrefecimento, elétrica básica, sistema de injeção, entre outras. Aprender a realizar as trocas e manutenções básicas que não requeiram pessoal ou equipamento específico. Possuir ferramentas que permitam tais reparos durante o percurso. Levar peças e partes sobressalentes para problemas que podem ocorrer e ter solução, como pivôs, lâmpadas, fusíveis, filtros e lubrificantes, etc. São essas as responsabilidades básicas daquele que é 'apenas o motorista'.

Mas não param por aí. Com o objetivo de estar melhor preparado para uma viagem com mais de 40000 km, outros sistemas passam a fazer parte do carro, como um novo sistema elétrico e um sistema hidráulico com água quente, que demandam estudo, novos conhecimentos e habilidades para projetá-los e fazer as novas instalações. Discutirei sobre essa parte em posts futuros.

À fim de compartilhar um pouco do que estou estudando/aprendendo, separei um material básico sobre alguns assuntos, e irei atualizando sempre que possível:

Motorização Diesel

Mercedes Benz - Mini-curso Mecânica Diesel


Filtros


Lubrificantes


Video Aulas Texaco


Turbo



Sistema de Arrefecimento

Video Aulas Texaco


Suspensão:

Curso Nakata de Suspensão para Veículos Leves


Direção e Transmissão:


Dicas sobre consumo


Peças Customizadas